Dia de chuva... Oportunidade de pilotos e navegadores mostrarem tudo o que sabem sobre rali

publicado em: 19/07/2013

A cidade de Canoinhas, SC, amanheceu com chuva forte nesta sexta-feira. Lama e terreno escorregadio foram os grandes desafios do segundo dia do 5º Rally Transcatarina. Evento termina amanhã, em Balneário Camboriú

 

19 de julho de 2013 - "Rezei para chover, mas não precisava ser tanto", brincou o piloto, Rafael Augusto Avelar. É fato, a grande parte dos praticantes de rali de regularidade gosta de provas que acontecem com chuva. Isso porque competir sob tais condições exige mais perícia na pilotagem e navegação, e deixa a disputa mais emocionante. É a oportunidade na qual as duplas desempenham tudo o que sabem para buscar a vitória.



O 5º Rally Transcatarina largou no dia 18 de julho da cidade de Fraiburgo e a chegada será amanhã, 20, em Balneário Camboriú, SC. O ponto final desta aventura de 800 quilômetros acontecerá na Barra Sul, com previsão para às 15h.

O segundo dia de rali foi pra lá de radical! Entre Canoinhas e Rio Negrinho, as 155 duplas cumpriram 250 quilômetros de prova - com 169 quilômetros navegados - em cerca de sete horas. Para abrir a etapa, uma área de reflorestamento de eucalipto com piso bastante molhado, que fez as duplas "bailarem" (escorregarem). Para completar, diversas curvas que, no "conjunto da obra", pediu braço e esforço do piloto. Era preciso muita perícia nas entradas de curvas para realizar a manobra sem perder tempo.

Completando o que já estava bom, poças d'águas, buracos, lombadas e valetas que testaram a resistência da suspensão dos veículos, diversas descidas e subidas (que se não acelerasse fundo, o carro não subia; em contrapartida, exigia um cuidado tremendo para evitar patinações que levassem a algum acidente). "Sensacional. Essa foi uma prova que jamais vou esquecer", salientou Francklin Pscheidt.

Agora sim, o clima de decisão imperou

Depois de deixarem muita lama para trás, quem comemorou na Super Máster, e com louvor, foram Leandro Pereira Moor e Wagner Hirt Marques. "Hoje foi bem mais difícil, pois a situação da chuva forte e o piso molhado complicaram para o piloto e navegador. Ficamos felizes com esse resultado, que mostrou que estamos 'vivos' na disputa", falou Moor.

Na Graduados, o grito maior veio de Vinicius Lustosa Polati e Marcos Fernando Evangelista. "O entrosamento da dupla fez toda a diferença. Sem dúvida, foi uma prova extremamente difícil, pois o navegador corrigiu o hodômetro o tempo inteiro e o piloto teve de ser audacioso", afirmou Evangelista.

E na Júnior, Claudemir Hubner e Ana Madalozzo Hubner mostraram que sabem o que fazer quando se trata de terreno com barro. "Nós competíamos juntos, mas há oito anos paramos devido ao nascimento da nossa filha. Estamos voltando agora e conquistar essa vitória é muito emocionante, ainda mais em um rali tão difícil", disse Ana.

A animação que contagia

Estar dentro de uma competição, mas sem se preocupar em cumprir tempo, não precisar ficar de olho nos resultados dos adversários, não sentir o desespero porque algo deu errado... Eles querem "sombra e água fresca"... O lema na Turismo Light é ter tranquilidade.

A família Gonçalves, de Rio do Sul, SC, participa pela segunda vez da categoria. No ano passado, foi apenas o trio formado pela mãe Maristela e as filhas, Gabriela (13) e Manuela (9); agora, o pai, Nicácio, juntou-se a elas. "Em 2012, o Nicácio foi competindo, e nós, para acompanhar, seguimos pela Turismo Light. A experiência foi tão maravilhosa, que nós retornamos e ele veio conosco", contou Maristela, que tem pânico de água. "Fazer as travessias de rios para mim é uma superação. Mas tenho conseguido vencer todas. Sinto um pavor enorme quando um rio aparece, mas temos que atravessá-lo para seguir no comboio; não tem outro jeito", declarou.

Maristela também destacou que o evento está proporcionando a elas, conheceram novas regiões do Estado. "Embora não esteja muito longe de casa, eu nunca vim para esses lados. E está valendo a pena, pois é lindo e diferente", encerrou.


Já vai terminar?

O último dia do Rally Transcatarina promete entrar para a história desta edição de cinco anos. Serão cerca de 130 quilômetros navegados, entre Rio Negrinho e Balneário Camboriú. O trajeto passará pela serra de São Bento do Sul, adentrando fazendas de reflorestamentos de pinus e eucaliptos. Depois de descer a serra e fazer o neutro em Guaramirim, os competidores seguirão para a área da mineração Veiga. Pegadinhas e balaios não faltarão e serão decisivos na definição dos resultados. E se continuar chovendo, será um "bailado" dentro das trilhas.

Uma novidade será uma "pista" em Guaramirim. Serão 900 metros, com várias curvas e piso liso, ou seja, bem técnica. Será uma apresentação para o público, que poderá ver de perto um pouco do Rally Transcatarina. A previsão de chegada do primeiro carro é 11h30.


Classificação - 5º Rally Transcatarina

2º dia - Canoinhas/Mafra/Rio Negrinho

Categoria Super Máster


1º Leandro Pereira Moor/Wagner Hirt Marques - Apucarana, PR - 103 pontos perdidos
2º Flávio Roberto Kath/Rafain Walendowsky - Blumenau, SC - 97 pontos perdidos
3º Daniel Maffi/Enedir Silva Júnior - Chapecó, SC - 95 pontos perdidos
4º Rone Branco/Jhonatan Ardigo - Curitiba, PR - 83 pontos perdidos
5º Oscar Schmidt/Gustavo Schmidt - São José, SC - 81 pontos perdidos

Categoria Graduados

1º Vinicius Lustosa Polati/Marcos Fernando Evangelista - Curitiba, PR - 94 pontos perdidos
2º Edson Pereira Schebeski/Alexandre William Dalssoto - Ponta Grossa, PR - 91 pontos perdidos
3º Juliano Cesar Borges/Edson Roberto Schmidt - Corupá, SC - 80 pontos perdidos
4º Everton Gratt/Wesley Sari - Capinzal, SC - 77 pontos perdidos
5º Leandro Gasparetto/Vilson Ferreira - Joinville, SC - 71 pontos perdidos


Categoria Júnior

1º Claudemir Hubner/Ana Madalozzo Hubner - Caçador, SC - 100 pontos perdidos
2º Eduardo Schvambach/Júlio César Maba Floriani - Jaraguá do Sul, SC - 90 pontos perdidos
3º Christian Marquardt/Charles Salvador - Jaraguá do Sul, SC - 84 pontos perdidos
4º Silvano Jesus Taborda/Juliana SJaremczyk - Cascavel, PR - 77 pontos perdidos
5º Eduardo Szabunia Neto/Wilson Reichwald - Rio Negrinho, SC - 74 pontos perdidos


Roteiro - 5º Rally Transcatarina


20 de julho - Rio Negrinho - Guaramirim - Balneário Camboriú


O 5º Rally Transcatarina tem patrocínio de Ensimec, Hankook Pneus, Hotel Renar, Troller Veículos Especiais S.A, Santur, Petrobras e Governo Federal

Apoio de Infinity Blue, Trilha SC, Ativa, Grafimax, RH Brasil, Prefeitura Municipal de Balneário Camboriú, Prefeitura Municipal de Rio Negrinho, Prefeitura Municipal de Fraiburgo, Prefeitura Municipal de Canoinhas, Prefeitura Municipal de Guaramirim, Prefeitura Municipal de Mafra, Prefeitura de Timbó Grande, Governo do Estado de Santa Catarina, Funturismo e Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte

Realização: SC Racing

Supervisão: CBA e FAUESC

Fale conosco
Fale conosco pelo WhatsApp